Veröffentlicht: 14.03.2018

Regulamento Bitcoin

Regulamento Bitcoin – Introdução

Regulamento Bitcoin – Bitcoin é, provavelmente, a moeda de criptografia mais conhecida no mercado. Os alicerces foram colocados em 2008, quando a ideia para Bitcoin foi publicada pela primeira vez em um white paper.

Desde então, a moeda foi introduzida e capaz de alcançar um crescimento constante. Por isso, a criptomoeda começou a se tornar o foco da atenção do público.

Até o final de 2017, Bitcoin tornou-se uma entidade familiar tanto para os que conhecem quanto para a população em geral.

No entanto, este aumento de interesse também aumentou o risco de regulamentação por parte dos governos e autoridades de supervisão.

Dito isto, a independência dos estados e intermediários é uma das características mais importantes da tecnologia blockchain. Em particular, há a chamada descentralização das coisas, que resulta da rede subjacente peer-to-peer em jogo.

Esta base tecnológica impede a intervenção tradicional do Estado. O artigo a seguir aborda o tema da regulação Bitcoin e serve para analisar o potencial de intervenção estadual.

Regulação Bitcoin e BaFin

A Autoridade Federal de Supervisão Financeira Federal (também conhecida como BaFin) é encarregada de garantir o funcionamento do sistema financeiro.

Uma das principais áreas de foco é proteger os consumidores de fraudadores. É uma pequena surpresa que a BaFin tenha mostrado interesse no surgimento de criptomoedas.

A autoridade fez uma declaração inicial sobre o assunto em 2013, com várias questões arquivadas. Além disso, a Autoridade Europeia de Supervisão Bancária publicou informações sobre moedas digitais.

Em particular, o órgão de supervisão dirigiu-se ao investidor privado. No entanto, a declaração da EBA é bastante vaga e serve para enfrentar os riscos fundamentais decorrentes da aquisição, detenção e negociação de moedas.

Ela se concentra em informações mais ao nível legal e fiscal. Um risco particular destacado pela EBA é o de plataformas de negociação duvidosas.

Isso ocorre porque existe a possibilidade de perda de um depósito inteiro se o provedor se tornar ativo sem compromisso das autoridades. Neste caso, o fornecedor entraria no âmbito da Lei de Lavagem de Dinheiro.

Segundo a BaFin, Bitcoin também não é uma moeda. Para atender aos requisitos de uma moeda, ela deve ser emitida por um banco central. O Bitcoin não é emitido por um banco central.

Bitcoin não é, portanto, uma moeda ou dinheiro eletrônico. Em vez disso, é referido como uma unidade de medida, com características semelhantes às de um câmbio.

Regulamento Bitcoin para uso como moeda substituta

Basicamente, os clientes que pagam suas contas através do Bitcoin não devem ter medo de consequências legais.

Uma vez que nenhuma licença da BaFin é necessária para uso como moeda substituta, as vendas através do uso do Bitcoin também são possíveis.

Isso significa que a compra e venda clássica não é afetada pela falta de uma licença BaFin. As ações de compra e venda podem ser realizadas pelos usuários sem hesitação.

Toda a situação torna-se mais duvidosa se o vendedor não se envolver em uma troca direta de informações com os clientes. Em outras palavras, se o vendedor se basear, unicamente, no uso de um provedor de pagamento.

Se o fornecedor de pagamento aceitar os Bitcoins correspondentes e encaminhá-los ao destinatário em euros, é necessária a aprovação da BaFin. Assim, existe a possibilidade de que a regulação da BaFin possa ocorrer.

Regulamento Bitcoin em negócios comerciais

Se uma entidade jurídica usa outros elementos de serviço dentro do escopo do Bitcoins e outras criptomoedas, a necessidade de uma licença BaFin pode surgir.

Em suma, a mineração, compra e venda de Bitcoins não requer uma licença BaFin. No entanto, se um montante for fornecido de forma independente para manter o mercado, uma licença é obrigatória.

Um volume comercial de mais de 20 transações individuais por mês já está incluído nas medidas de preservação do mercado. Isso significa que os pools de mineração em particular são afetados pela regulamentação.

Vários procedimentos já foram iniciados contra bancos de mineração porque não possuíam uma licença da BaFin.

No entanto, a operação de uma plataforma de negociação on-line também está sujeita aos regulamentos da Bitcoin.

A Bitcoin é negociada como uma mercadoria industrial no âmbito das bolsas de valores, o que significa que a BaFin procuraria regular esses casos.

Neste contexto, a definição específica do modelo de negócios deve ser levada em consideração. Isto é devido ao fato de várias permissões sob o Ato de Banca Alemã precisarem ser abordadas.

É irrelevante se a fusão de compradores e vendedores é automatizada ou manual. Isso ocorre porque o objetivo comercial, por si só, leva a uma obrigação de licença BaFin para a transação.

Regulamento Bitcoin – O que acontece se falta uma licença?

Em princípio, os serviços financeiros exigem a aprovação de uma autoridade de supervisão financeira. Se estiver faltando, uma infracção criminal foi cometida. Isso aplica-se mesmo se for um caso de negligência.

Como resultado, a Bitcoin é ameaçada pela regulamentação devido ao encerramento dos processos comerciais e civis.

Para evitar possíveis regulamentos, é necessário lidar com o quadro legal do novo mercado o mais rápido possível.

Regulamento Bitcoin em um contexto internacional

A regulamentação do mercado não só está aumentando na Europa, mas também no exterior. Na China, por exemplo, o governo proibiu o uso da moeda. Devido ao forte papel do Estado, tal regulamentação é possível na China.

Outros países, como a Alemanha ou os EUA, buscam apenas reduzir o anonimato atual da Bitcoin. Isso se deve ao fato de o anonimato encorajar atos de lavagem de dinheiro.

Criptomoedas gozam de uma reputação particularmente boa entre os criminosos, pois permitem que grandes quantidades de dinheiro sejam movidas.

Este é um problema particular para os governos, pois evita impostos e previne a intervenção.

No entanto, de acordo com especialistas, as chances de regulação de Bitcoin são pequenas, pois exigiria muitos estados para cooperar. Os EUA desempenharão o papel mais importante na regulamentação no futuro.

Isto é devido à sua economia líder em conta para mais transações de pagamento.

Uma visão mais detalhada pode ser desenvolvida ao longo dos próximos meses, quando as autoridades de supervisão fornecem uma conclusão final sobre criptomoedas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *