Veröffentlicht: 12.03.2018

Pensando em minerar Bitcoins?

Pensando em minerar Bitcoins?

Pensando em minerar Bitcoins? A Bitcoin é a primeira de um número crescente de criptomoedas, com as primeiras 50 unidades mineradas em 3 de janeiro de 2009. O termo criptomoeda refere-se a moedas virtuais descentralizadas distribuídas pela Internet.

Após o crescimento recente da Bitcoin e de outras moedas similares, a popularidade das criptomoedas aumentou consideravelmente: todo mundo quer participar daquilo que muitos consideram ser uma nova “corrida do ouro”. Com efeito, esta comparação não é exagero.

Tal qual ocorria com o ouro precioso do passado, a maioria das criptomoedas também pode ser “minerada”. Mas como outros recursos naturais, estas moedas não são inesgotáveis, portanto, o valor certamente vai aumentar conforme a procura aumentar, a oferta (ou seja, a disponibilidade) diminuir, acabando por estagnar completamente.

Pensando em minerar Bitcoins-  O que significa “Mineração”? Os aspectos técnicos da mineração de Bitcoins

A “mineração”, também chamada de “escavação”, refere-se ao processo de verificação de criptomoedas, a nova geração de unidades monetárias individuais.

A mineração é um recurso inerente de sistema, projetado para tornar este tipo de moeda atraente, já que a tecnologia das criptomoedas depende fortemente de uma ampla rede de usuários independentes para atender às demandas de descentralização.

Pensando em minerar Bitcoins – Quando todas as Bitcoins serão mineradas? Vale a pena entrar no negócio?

A base de todas as criptomoedas baseadas em bitcoin é o chamado “blockchain”. Trata-se essencialmente de um banco de dados que pode ser concebido como uma “cadeia” de blocos de dados.

Um método criptográfico acrescenta novos blocos que contêm as transações e criações de valores mais recentes ao blockchain. Novos blocos são gerados por todos os computadores que compartilham seu poder de processamento na rede Bitcoin para resolver uma tarefa definida pelo blockchain.

Quando um novo bloco é gerado, um número específico de unidades monetárias será distribuído para aqueles usuários que contribuíram com seu poder de processamento para a resolução da tarefa.

Desta forma, cada vez mais unidades da criptomoeda entram em circulação. Este sistema é regido pela dificuldade das tarefas que o blockchain aloca e pelo número de bitcoins que são distribuídas por cada bloco recém-eliminado.

Por um lado, a complexidade das tarefas aumenta, e com o passar do tempo, que requer a aplicação de um poder crescente de processamento; atualmente, isto tem ocorrido a cada duas semanas. Por outro lado, o número de bitcoins para novos blocos está diminuindo continuamente.

Isto é regulado pelo processo de “divisão”, no qual o sistema determina a partir de qual número de blocos processados o rendimento vai ser reduzido pela metade em cada bloco. Isso acontece periodicamente, e cria uma procura pelas cobiçadas moedas, aumentando o seu valor e atraindo cada vez mais usuários para a Bitcoin, que também querem participar do negócio.

A Bitcoin regula a si própria até um certo nível.

Pensando em minerar Bitcoins – Mineração de Bitcoins: ainda vale a pena fazer?

Quando todas as bitcoins serão mineradas? Para responder a esta pergunta, vamos analisar a história da mineração.

Desde o seu início em 2009, a Bitcoin passou por uma transformação radical. Se as tarefas necessárias para escavar novos blocos eram fáceis de resolver a princípio, sua dificuldade só aumentou desde então.

O resultado foi uma verdadeira corrida armamentista dos mineradores, que tentaram obter vantagens com hardwares ainda melhores, mais rápidos e otimizados, para terem melhores oportunidades de ganhar novas Bitcoins.

No início, um simples computador caseiro era suficiente. O poder de processamento de um processador padrão era facilmente capaz de executar a mineração. Os mineradores mais espertos perceberam que os processadores gráficos das placas de vídeo eram particularmente adequados para resolver os cálculos aritméticos apresentados pelo algoritmo do blockchain.

Alguns usuários construíram blocos inteiros de placas de vídeo em casa para melhorar o seu desempenho. Mas até isso acabou se tornando desvantajoso, porque este processo consumia muita energia exclusivamente para os sistemas de refrigeração.

Um hardware elaborado especificamente para fins de mineração foi capaz de realizar essas tarefas com muito mais eficiência e economia. Ele se chama ASIC, ou circuitos integrados de aplicação específica (CIAEs), e foi lançado no final de 2011.

Basicamente, estes circuitos são microchips especialmente programados para uma finalidade específica. No caso da Bitcoin, são programados para resolver as tarefas do blockchain com bastante eficiência.

Atualmente existem muitas outras opções, como a mineração em nuvem, em que você pode alugar o poder de processamento de um provedor para minerar bitcoins.

Pensando em minerar Bitcoins – A Lei de Moore

Uma teoria particularmente interessante sobre a questão de quando todas as Bitcoins serão mineradas é a “Lei de Moore”, formulada por Gordon Moore, um dos co-fundadores da empresa Intel, em 1965.

Segundo a lei, o poder de processamento computacional disponível do mundo sempre duplica em um determinado período de tempo. Este período atualmente compreende cerca de 18 meses, podendo ser observado no mundo real do ramo informático.

Assim, é possível afirmar que a complexidade das tarefas a serem solucionadas no blockchain teoricamente deve dobrar a cada 18 meses a fim de permanecer em um nível constante. No entanto, como um número cada vez maior de usuários está ingressando na mineração de Bitcoins, é provável que aumente mais rápido do que isto.

Pensando em minerar Bitcoins – Quando todas as Bitcoins serão mineradas?

Com a ajuda do poder de processamento disponível atualmente e com a ajuda da lei de Moore, é possível prever (porém, sem certeza) o tempo necessário para minerar todas as Bitcoins.

No momento, existem 16.782.587 unidades da criptomoeda Bitcoin. Espera-se que existirão 21,000,000 BTC no final da fase de mineração. A suposição extrapolada é de que a última bitcoin será minerada em 2140. No entanto, isso vai depender de uma série de fatores, tais como a evolução computacional nos anos vindouros e quantas divisões ainda estão ocorrendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *