Postado em: 13. maio 2018

O que é a Ethereum?

O que é a Ethereum?

A Ethereum é a criptomoeda mais conhecida depois da Bitcoin. Ela tem a segunda capitalização de mercado mais elevada entre todas as criptomoedas.

Contudo, a Ethereum não é apenas uma moeda, mas também uma plataforma. A moeda do sistema da Ethereum é a Ether. As plataformas de troca e os portais de negociação listam ela com o símbolo ETH. As transações de pagamento dentro da rede da Ethereum é feita através da Ether. Em adição a essa moeda nativa, é possível converter outras moedas digitais em tokens. Elas são trocadas com a Ether.

Como a Ethereum surgiu?

A primeira informação sobre a Ethereum foi publicada pelo seu desenvolvedor, Vitalik Buterin, em 2013. Posteriormente, a rede da Ethereum foi lançada em julho de 2015. Os desenvolvimentos futuros da plataforma da Ethereum estão sob os cuidados da fundação suíça Ethereum Foundation. Vitalik Buterin ainda lidera a equipe de desenvolvimento, e está trabalhando atualmente em novas versões do protocolo da Ethereum.

Que tecnologia está por trás da Ethereum?

A pergunta “”O que é a Ethereum?”” não pode ser respondida sem observar a sua tecnologia básica. A Ethereum é um sistema distribuído, os parceiros da rede trocam dados através da própria rede ponto a ponto da Ethereum (do inglês, peer-to-peer). Essa troca de dados acontece sem um servidor central.

A blockchain da Ethereum funciona como uma base de dados comum para todos os participantes da rede. A arquitetura descentralizada da blockchain representa assim uma alternativa para a configuração clássica de clientes-servidor. O objetivo principal dessa estrutura de rede distribuída é a proteção dos dados.

Contratos inteligentes

A tecnologia da blockchain oferece a Ethereum capacidades que vão além das funções típicas de uma moeda. Além disso, é a base para os contratos inteligentes e os dApps (aplicações distribuídas). Os contratos inteligentes escondem os programas menores e são utilizados para mapear digitalmente o conteúdo do contrato. A blockchain da Ethereum os coordena e automatiza.

dApps

Os contratos inteligentes são a base dos dApps. Estas são aplicações distribuídas que são compostas por esses contratos. Eles são baseados em um código de fonte aberta, o que significa que qualquer um pode desenvolver novos dApps ou aqueles já existentes. Uma particularidade está no fato de que durante a execução da transação, o procedimento correto pode ser checado permanentemente.

A distribuição dos dApps se difere bastante do que acontece nas lojas de aplicativo convencionais. Nas lojas da Apple e do Google, por exemplo, essas corporações estabelecem regras. Existem especificações para os desenvolvedores de aplicativos através das quais certos recursos são exigidos para que o aplicativo seja compatível. Em relação aos dApps, os desenvolvedores tem o poder de decisão sob os dados dos seus aplicativos. Eles que decidem de modo independente como projetar o dApp e onde oferecê-lo. Em suma, a Ethereum oferece um ambiente livre com a sua loja de Dapps.

O que é a carteira da Ethereum?

Qualquer um que quiser usar a gama completa de capacidades da Ethereum precisa de um cliente. Geth e Parity são os dois clientes mais usados entre os usuários da Ethereum. Com o status de programas plenamente desenvolvidos, ambos os programas demandam uma energia computacional relativamente alta. Para os usuários que não utilizam a aplicação dos contratos inteligentes, as carteiras leves são uma alternativa a esses clientes. Elas permitem que você receba e faça a transferência de Ethers. A “”MyEtherWallet”” é uma carteira digital online com um método de operação simples e uma boa variedade de funções. Uma carteira leve, por sua vez, capaz de suprir somente as funções mais básicas é a Metamask.

Outra categoria é a das carteiras de hardware, as quais geralmente existem na forma de um pendrive. Somente o dono das trocas físicas sabem as chaves privadas para divulgar a transação. Esse também é o caso das carteira múltiplas Jaxx e Exodus, que além da Ethereum, também administram outras criptomoedas paralelamente. Para completar, desenvolvedores chineses lançaram a primeira carteira de Ethereum mobile, a imToken.

Conclusão

A Ethereum está ainda no início do seu desenvolvimento. Ela proporciona a cada participante a oportunidade de oferecer os seus próprios dApps sem intermediários. Como um sistema descentralizado, ela cria oportunidades para a comunicação e o processamento de transações entre máquinas na chamada “”Internet das Coisas”” (do inglês, “”Internet of Things””).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bots não podem votar

4.79 / 5 Estrelas
729 comentários para Coin-Report.net submetidos.