Veröffentlicht: 11.04.2018

Ethereum Classic

Antes de focar diretamente na Ethereum Classic, vale a pena reservar um tempo para entender a história da Ethereum e da The DAO.

Código é lei, ou não?

“”Código é lei”” foi o slogan da Ethereum Foundation, e ele costumava ser utilizado nas declarações do fundador da moeda, Vitalik Buterin. Consequentemente, esse slogan e todo o conceito da plataforma, que é baseada nos contratos inteligentes, agradou a muitos programadores, especialmente aqueles cujos trabalhos estão diretamente interligados com a indústria. A Ethereum rapidamente reuniu uma ampla comunidade, formada não apenas por programadores comuns e defensores de criptomoedas, mas também por alguns dos maiores empresários do mundo.

O colapso da The DAO

A The DAO foi criada contrariamente a prática desse projeto bem-sucedido, como um fundo de investimento independente que funcionava na plataforma da Ethereum. Ela possui o seu próprio token interno e individual, e alegadamente apoia um modelo de administração completamente descentralizado. Muitos já devem ter escutado sobre as dificuldades enfrentadas por esse projeto desde o seu início. Mais de US$ 50 milhões foram “”roubados”” desse fundo, supostamente por um hacker desconhecido que explorou uma falha de segurança no código do contrato.

Esse roubou levou a uma queda brusca no preço dos tokens DAO e, é claro, a uma queda de preço ainda maior para a Ethereum (ETH). A carteira do hacker foi congelada com os ativos do fundo e, logo em seguido, foi decidido que seria feita uma mudança radical no protocolo. Isso significa, em outras palavras, que uma cópia da rede original da Ethereum seria criada para corrigir essa vulnerabilidade.

A descentralização era um mito

Exatamente metade da comunidade considerava a descentralização como um mito. Isso aconteceu porque a descentralização implica em um sistema operacional totalmente anônimo, onde um contrato deve ser feito, independente da intervenção humana. Depois do roubo, contudo, houve uma intervenção direta dos desenvolvedores e uma mudança nos códigos, o gerou uma resposta negativa por parte de muitos membros da comunidade.

De um lado está a perda de nada menos que US$ 50 milhões dos fundos da The DAO. Já por outro lado, está a perda de ideias importantes, da descentralização da plataforma e da não-interferência de pessoas nos processos dos contratos inteligentes.

O cenário por trás das mudanças radicais

Contra esse cenário, a comunidade da Ethereum se dividiu em dois grupos. Existem aqueles que apoiam as mudanças drásticas e apreensão dos fundos do hacker. Estes se opõe ao grupo que acredita que o hacker não cometeu um crime, mas que meramente utilizou uma opção funcional que existia no contrato, ganhando honestamente esse dinheiro. Os desenvolvedores por si só iniciaram um projeto bruto e desprotegido para ganhar mais dinheiro rapidamente.

Como esperado, uma votação revelou que a maioria não aprovava a ideia dos contratos descentralizados, mas estavam por trás de grandes somas de dinheiro. Isso posteriormente levou a uma imensa quantidade de reações negativas.

O nascimento da Ethereum Classic

Em vista disso estava o surgimento da Ethereum Classic (ETC). A criptomoeda tem preservado a rede original da Ethereum sem essas mudanças radicais e sem intervenções externas diretas.

Muitos se surpreenderam pelo fato de que uma das plataformas de trocas mais autoritárias, a Poloniex, que é famosa por seu conservadorismo, adicionou a ETC rapidamente. Já nos seus primeiros dias de negociação, a Ethereum Classic cresceu mais de 250%. Contudo, os analistas atribuíram isso a especulação comercial dos grandes negociadores.

Depois de ser adicionada na Poloniex Exchange, Bittrex e Kraken, a ETC também entrou no mercado, o que confirma o reconhecimento da criptomoeda em um patamar mais elevado. Alguns pools de mineração grandes como: http://ethc.epool.io e o http://pool.ethereumclassic.com, também apoiaram a ideia de manter a blockchain original da Ethereum e permitiu que os usuários minerassem a ETC em seus pools.

Princípios e ideias básicas da Ethereum Classic

A ideologia é de que esse projeto acredita em blockchains descentralizadas que são acessíveis para todos e protegidas de interferências. Eles acreditam no conceito original da Ethereum, de ser um software global e sem a habilidade de reverter, de alguma forma, um contrato inteligente ou bloquear os resultados de sua implementação.

A equipe de desenvolvimento

Atualmente, duas equipes de desenvolvimento estão trabalhando nas aplicações da Ethereum Classic:

“”The ETC development team”” – desenvolvem Geth Classic, escrita na linguagem de programação Go. Ela é liderada por Igor Artamonov (Splix). A equipe consiste em seis desenvolvedores remunerados, que são da Go and Rust. Essa equipe também inclui cinco consultores não-remunerados, um analista estratégico e um gerente de marketing.

“”Ethereum Commonwealth Team”” – estão desenvolvendo o padrão ERC223, o qual suporta o programa de recompensas. A equipe é liderada por Dexaran, um desenvolvedor anônimo da comunidade da Ethereum Classic. Além disso, a equipe está ocupada conduzindo e desenvolvendo as atualizações do protocolo de rede da Ethereum Classic.

Conclusão

A Ethereum Classic surgiu como resultado de uma divergência. A plataforma combina os membros da comunidade da Ethereum, que rejeitaram as mudanças na The DAO por razões filosóficas.

A Ethereum Classic (ETC) é uma blockchain baseada na plataforma criptográfica para o desenvolvimento de aplicações com base no código aberto dos contratos inteligentes. É portanto uma máquina totalmente virtual e descentralizada, que pode executar os nós públicos da rede.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *