Veröffentlicht: 04.03.2018

Chave público-privada

O que é a chave público-privada?

Chave público-privada – Apesar de o nome parecer contraditório, não é esse o caso, cada carteira digital (“”wallet””) possui uma combinação criptográfica pública e privada que se combinam. Essas duas chaves são atribuídas a um endereço específico.

Esse endereço não é divulgado e sim dado como uma chave pública, a qual pode ser modificada a qualquer momento. O endereço da carteira é somente uma versão em hash da chave pública.

Com a chave pública, provas do endereço de uma carteira que existe podem ser fornecidas. Isso permite que transações financeiras entre duas carteiras sejam feitas sem consultar um banco. A transferência da criptomoeda é controlada pelos blocos da blockchain. A capacidade computacional necessária é provida pela mineração.

Como a criptografia funciona?

A chave pública é gerada em uma extensão de 256 bits e o hash final tem uma extensão de apenas 160 bits. Isso garante que o destinatário das Bitcoins é também a pessoa certa e que o dinheiro virtual irá para onde ele pertence.

Isso é controlado por algoritmos matemáticos. A chave pública se deriva da chave privada. O contrário, contudo, não é possível. A chave pública só pode calcular o endereço da carteira, e não o dono dela.

É quase impossível que a mesma chave seja gerada duas vezes. Essa é a razão pela qual a chave pública é uma ferramenta útil para se transferir criptomoedas.

Isso pode parecer complicado mas os participantes em transações financeiras de criptomoedas não precisam lidar com isso pois o software na carteira toma conta tanto da criação como da codificação das chaves. Sendo assim, uma carteira digital não é apenas uma carteira e sim uma espécie de banco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *