Veröffentlicht: 26.02.2018

Bytecoin

O que é a Bytecoin?

A Bytecoin (BCN) é a primeira criptomoeda baseada na tecnologia CryptoNote e foi lançada em julho de 2012 como uma plataforma que processa pagamentos anônimos.

Seu software possui código aberto e o complexo algoritmo CryptoNote, que atualmente é utilizado por dez moedas ativas, garantindo à Bytecoin moedas repletas de anonimato, transações rápidas e descentralização total. A capitalização dessa moeda atualmente já supera a marca de US$ 1 bilhão.

Como regra, se a moeda possui grande demanda, o volume de negociações é igualmente alto. A criptomoeda pode ser minada e negociada em tais trocas como a POLONIEX e a HitBTC, entre outras.

Até hoje, o time de desenvolvimento continua trabalhando com Bytecoins, o que a propósito afirma que essa criptomoeda possui o maior ecossistema entre todas as moedas que seguem o algoritmo CryptoNote.

Os mais céticos não têm certeza se isso é verdade, acreditando que esse posto pertence a Boolberry (BBR) ou a Monero Coin (XMR), mas de qualquer forma, a Bytecoin está entre as principais moedas com CryptoNote.

O desenvolvimento da Bytecoin

A Bytecoin foi a primeira criptomoeda anônima do algoritmo CryptoNote, lançada em 2012. Esse algoritmo permite anonimato, alta velocidade nas transações e uma completa descentralização. A Bytecoin foi escrita a partir de rascunhos próprios e não é uma ramificação da Bitcoin.

Essa moeda, como muitas outras, ganhou um grande impulso durante a primavera do hemisfério norte, mas atualmente, o seu preço caiu para cerca de US$ 0.005. Ainda assim, não existem garantias de que o preço não continuará em declínio. Se você observar os gráficos da moeda em relação ao dólar, há espaço para que o nível de suporte em US$ 0.001 seja quebrado.

Enquanto a plataforma continua se desenvolvendo, avanços estão sendo feitos para impulsionar a Bytecoin entre as criptomoedas em destaque. Um novo projeto de plataforma online com um design moderno e agradável, por exemplo, foi lançado recentemente, e uma aplicação de carteira (“”wallet””) móvel foi lançada e irá receber em breve novas funcionalidades.

A lista de trocas em que a Bytecoin está presente é também algo que está se expandindo, e o fato de que todas as moedas estão minadas em alguns meses cria ainda a base perfeita para o próximo impulso da moeda. Além disso, é provável que ocorra um crescimento natural do seu preço, na condição de que o atual andamento do desenvolvimento da plataforma permaneça estável.

Informações gerais

Bytecoin é uma criptomoeda de código aberto, descentralizada e anônima, que qualquer um pode utilizar. O algoritmo CryptoNote usado garante uma imunidade à análise dos blocos. Transações com a tecnologia ring signature tornam impossível que outras pessoas possam rastrear quem enviou a moeda, o receptor e informações pessoais sobre ambos, incluindo suas localizações.

O montante de moedas da negociação também é difícil de ser determinado, sendo possível descobrir apenas se uma transação foi de fato realizada ou não.

Existem atualmente 183 bilhões de moedas Bytecoin em circulação, restando apenas cerca de um bilhão de moedas disponíveis para a mineração. Em relação ao tempo das transações, estas são confirmadas em cerca de dois minutos.

A Bytecoin está ativamente se desenvolvendo e a sua equipe de projetos é formada por muitos desenvolvedores talentosos, a maioria deles protegidos por pseudônimos. Entre eles, estão:

Amjuarez: Considerado o criador de toda a plataforma. É também o responsável pelo desenvolvimento estratégico de todo o projeto.

Pacific Skyline: Trabalha no desenvolvimento de tecnologias que ajudam as pessoas a desenvolver o seu potencial. Além da Bytecoin, ele trabalha em vários outros projetos.

Neocortex: O líder entre os programadores, responsável por analisar os códigos à procura de erros.

Seigen: Tem uma vasta experiência no setor bancário, especialmente na proteção de dados e informações. Trabalha com algoritmos criptografados e segurança nas transações.

Pré-mineração das moedas da Bytecoin

Muitos usuários e analistas suspeitam que os desenvolvedores da Bytecoin pré-mineraram mais de 80% das moedas antes mesmo do seu lançamento oficial. Isso enfraqueceu significativamente a credibilidade dessa nova criptomoeda. Na época, contudo, essa história começou após a criação da concorrente mais importante e bem-sucedida da Bytecoin, que é a Monero (XMR).

O potencial da Bytecoin

De acordo com os analistas, os fatores que influenciam na taxa de crescimento dessa criptomoeda podem ser reduzidos para os dois mais relevantes:

1. O volume das Bytecoins não pode exceder 184.87 bilhões de moedas. No momento, 183.3 bilhões já foram mineradas. Quando esse volume tiver se esgotado, o valor de câmbio da moeda deve crescer pelo menos duas vezes. Ao longo do tempo, o número de moedas Bytecoin disponíveis diminuirá. Assim sendo, a moeda deverá se tornar mais cara.

2. Todas as transações de Bytecoins são anônimas e não rastreáveis, o que assegura a proteção dos dados pessoais dos usuários. Isso faz com que seja possível classificar a Bytecoin como parte de uma nova geração de criptomoedas anônimas.

Além disso, o seu desenvolvimento não depende em nada da Bitcoin, mas muitos ainda confundem essas duas criptomoedas, que são completamente diferentes.

Um resumo da história da Bytecoin

Desde que foi concebida, em 2012, diversas melhorias já foram feitas, incluindo a adição de transações com valores múltiplos e várias atualizações de segurança. A blockchain da Bytecoin contém informações adicionais que não estão diretamente ligadas as transações, com vários blocos contendo coordenadas geográficas de universidades, instituições de ensino e outros estabelecimentos.

Os blocos criados a partir de 11 de agosto de 2012 incluem ainda citações do documento “”Cyphernomicon””, do livro “”Neuromancer””, e outros.

Em 31 de março de 2015, os desenvolvedores da Bytecoin anunciaram o seu roteiro acerca dos lançamentos futuros. Entre outros temas, eles mencionaram:

  • Um portal de pagamentos que consegue lidar com milhares de transações simultâneas;
  • Um software para clientes com GUI (Graphical User Interface);
  • Múltiplas camadas de Interface de Programação de Aplicação (API) integradas com outros softwares;
  • Ativos baseados na blockchain;
  • Contratos inteligentes com linguagens integradas para treinamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *